Regras da Falésia Paraíso

LEIA AS REGRAS COM ATENÇÃO

Lembre-se que você está entrando em uma Propriedade Particular.

1 - Para visitar a propriedade, deve-se pagar R$ 5,00 por pessoa por dia. Se ninguém estiver na segunda casa do sítio (casa do Marcão) colocar o dinheiro na caixinha (cofrinho) que está na varanda ao lado esquerdo da casa. Não deixe de pagar, pois corremos o risco de não poder mais escalar nesta falésia.

2 - É proibido entrar e escalar a noite na falésia.

3 - Na estrada de terra dirija com muita atenção, não exceda 30 km/h, seja cortês e sempre dê preferência aos usuários locais.

4 - Imprima e leve o Guia de Escaladas da Falésia, pois ele contém informações importantes, como chegar, setores e croquis das vias.

5 - Trazer de volta todo o lixo.

6 - É possível acampar mediante pagamento de R$10,00 por pessoa por dia. Reservar antecipadamente por telefone (contatos abaixo).

7 - Proibido fumar e fazer fogueiras.

8 - Evitar deixar veículos na entrada do sítio. Para acessar o estacionamento deve-se abrir a tronqueira e deixar o veículo fora da estradinha no local indicado como estacionamento.

9 - Não fazer algazarra (gritar, xingar ou atirar objetos) e nem assustar os animais do sítio.

10 - Deixar as porteiras e/ou tronqueiras como estavam ao chegar.

11 - Tente evitar, mas caso desejem fazer necessidades fisiológicas, enterrar os dejetos e o papel higiênico.

12 - Não mexer nos materiais que estão na falésia, pois estes pertencem aos conquistadores.

13 - Pague logo ao chegar e quando for embora, certifique-se de ter pago a taxa de visita e camping de todos integrantes do seu grupo.

14 - Não deixe os cachorros do sítio irem para a estrada.

15 - Conquistas somente com autorização do proprietário e conquistadores locais.

16 - Não levar animais (cachorros, gatos, etc.).

Para Informações, dúvidas ou sugestões mande uma mensagem através do blog:

Solicite o telefone do proprietário nos enviando uma mensagem.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Tour du Mont Blanc



Tour du Mont Blanc (TMB)

       Este é um relato de três pessoas que fizeram o TMB e gostariam de ajudar ou facilitar a vida de quem gostaria de planejar uma viagem tão maravilhosa como essa. Fizemos o TMB em 11 dias, nas últimas semanas do mês de agosto de 2018, no sentido anti-horário, seguimos as rotas tradicionais. Iniciamos em Les Houches. Para chegar lá pegamos um voo de São Paulo a Genebra, seguimos para Chamonix de transfer e posteriormente pegamos um ônibus até o ponto de partida em Les Houches.

Por que fazer? Pra que passar suas férias andando e sofrendo?


Les Houches a Les Contamines-Montjoie

       O Maciço du Mont Blanc contem mais de 400 cumes, 40 glaciares, 7 vales e  possui a fronteira de três países, França, Itália e Suíça. É uns dos trekking mais bonitos do mundo e mais de 10.000 pessoas fazem o circuito a cada ano.



       O circuito tem aproximadamente 170 km, com ganho e perda de altitude acumulados de aproximadamente 10.000 m. É uma rota circular ao redor do maciço do Mont Blanc. Pode ser realizada nos sentidos horário e anti-horário. O sentido tradicional é o anti-horário. Pode ser feito em quantos dias desejar, desde que haja disposição. Para um trekking agradável e saudável leva de 10 a 12 dias em média. O período ideal para realizar o trekking é no verão, de julho a setembro. O mais cedo para se começar e não pegar trechos interditados pela neve ou mesmo refúgios fechados é a última semana de junho ou início de julho. O mais tarde é a metade de outubro, porém pode haver alguns refúgios fechados nesta época.

Refúgio Elisabetta a Courmayeur


Como organizar seu trekking:

       Existem agencias e guias que podem organizar seu itinerário e até servir de guia durante o trekking. São meios mais fáceis de programar o trekking, porém mais oneroso. Existe muita informação para que você mesmo planeje sua viagem, mas irá exigir um pouco de paciência e tempo. Conseguimos programar nossa viagem com apenas duas fontes de informação:
- http://www.autourdumontblanc.com/en/; www.montourdumontblanc.com (sites oficiais do Tour). Nestes sites você consegue programar o seu trekking de maneira bem fácil e consegue fazer reservas em alguns refúgios (a maioria).
- Livro Cicerone: Trekking Tour of Mont Blanc. Complete two-way trekking guide. Autor Kev Reynolds. É um guia bem detalhado do TMB, fala das trilhas, o que levar, segurança, locais de hospedagem, etc. Pode ser comprado na Amazon. (https://www.amazon.com.br/Tour-Mont-Blanc-Complete-Trekking/dp/1852847794/ref=dp_ob_image_bk).

Quanto custa?
   
       É um trekking caro. Somando-se voo, hospedagem e comida a viagem saiu por volta de 10.000 Reais cada um para passar 15 dias. De caminhada foram 11 dias e 3 dias foram de descanso.

O quanto andar:

       Depende do físico e do seu objetivo. Como cada dia, em média, subimos 1000 m e descemos 1000 m, manter uma média diária de 16 a 20 km está ótimo. Quilometragens além dessas é para quem tem um bom físico e pouco tempo para fazer a trilha. A infraestrutura do lugar é muito boa. Em alguns trechos há a possibilidade de pegar ônibus ou mesmo Lifts para encurtar o caminho e ou a subida. Utilize se estiver cansado ou precisar andar um trecho para achar acomodação.

-Locais com ônibus: Chamonix-Les Houches; Les Contamines-Notre Dame de la Gorge; La visaille-Courmayeur; Courmayeur-Arnuva in Val Ferret; La Vachey-Arnuva; Ferret-La Fouly; La Fouly-Champex; Champex-Orsières-Forclaz; Tré le Champ-Les Praz de Chamonix; Les Praz-Chamonix-Les Houches.

-Locais com lift: Les Houches-Bellevue; Plan Checrouit-Courmayeur; Les Praz-La Flégère; Le Brévent-Chamonix.


Les Contamines a Refuge de la Croix du Bonhomme

A trilha:

       São trilhas bem demarcadas, com várias sinalizações pelo caminho. O trecho da Itália foi o menos sinalizado, porém nada que prejudicasse o trekking. Em geral são placas que mostram o sentido do caminho, informam o tempo e onde você irá chegar. Como têm MUITAS trilhas nessa região às vezes têm muitas placas.  Mas nas placas vem desenhado o logo do tour ao lado do nome da trilha, então fica bem fácil diferenciar as trilhas. Em alguns pontos as sinalizações são pinturas (amarelo ou vermelho) ou mesmo o logo do TMB pintado nas rochas ou em alguma construção. Quase todo trecho tem uma rota variante. Em geral as variantes são mais difíceis, sobem mais, podem passar por trechos que não são seguros com mal tempo e podem demorar um pouco mais. Aconselhamos a decidir se irá pela rota tradicional ou pela variante na noite anterior. Tome a decisão baseado na característica da trilha, na previsão do tempo e no seu desgaste físico. As trilhas são tecnicamente fáceis, porém desgastante pelo ganho de altitude. Apenas o trecho que possui via ferrata deve-se tomar cuidado (Tré-Le-Champ a La Flégère).



Trilha Ferrata

O que levar:

       Pouco peso é o ideal. Como existem muitas subidas e descidas, a trilha pode ser desgastante. O recomendado é carregar de 7 a 10 kg. Entre o final de julho a setembro, faz muito sol e alguns fazem a caminhada de shorts, mas a noite pode fazer frio. Há alguns que aconselham levar calças impermeáveis. Nós fizemos o TMB em um período sem neve e chovia apenas no finalzinho da tarde, quando já havíamos chegado ao destino. Então para nós foi dispensável (peso a mais).  Mas a capa de chuva é importante, porque nunca se sabe quando irá chover. Há a grande discussão saco de dormir x liner. Os refúgios não tem roupa de cama então eles aconselham que leve algo. A maioria fornece edredom, caso faça frio. Acabamos optando pelo liner por ser mais leve e fácil de carregar. Em nenhum dia precisamos do edredom. Alguns refúgios fornecem chinelos tipo crocs na entrada, por que não pode entrar de bota. Mas pela grande quantidade de pessoas que passam pelos refúgios, aconselhamos levar o próprio par de chinelo. As subidas e descidas exigem do físico, então aconselhamos levar bastão de caminhada, no mínimo um. Segunda pele precisa levar? Não.

- Boné, óculos de sol, protetor solar, camisas dry fit, fleece, anorake, capa de chuva, roupa íntima, shorts ou calça para caminhada, meias, bota para trekking (goretex e vibram ou similar), kit de primeiros socorros, medicação para dor muscular, garrafa para água ou camelback, head lamp com pilhas extras, apito, mapas, saco de dormir ou liner, mochila de trekking confortável com capa para chuva, bastão de caminhada, chinelo ou chinelo tipo crocs, máquina fotográfica.

Água:

             Há bastante água potável no caminho, não precisa levar água para fazer todo o trecho programado. De 1 a 2 L por dia é mais do que suficiente. Reabasteça quando tiver água. Leve hipoclorito (clorin) para evitar contaminações.



Onde Ficar:

       As acomodações, como já dito anteriormente, podem ser reservadas no site http://www.autourdumontblanc.com/en/. Algumas são reservadas por e-mail ou telefone, mas essas informações são dadas pelo site citado. Reserve com antecedência, 3 meses antes no mínimo. As vagas dos principais refúgios acabam rapidamente e você terá que fazer algum percurso mais longo ou terá que desviar da trilha para achar acomodação. Deixar para reservar lá, dias antes, também é uma opção, mas não muito boa. Como já dito as vagas são limitadas e os principais refúgios disputados. Se não tiver vaga no caminho talvez você tenha que caminhar a mais ou pegar algum transporte (quando tiver) para achar acomodação. Antes de escolher seu refúgio, veja bem a localização em relação à trilha, para você não fazer uma perna muito grande ou muito curta. São em geral refúgios bem organizados e limpos. Eles fornecem cama, alguns edredom, banho quente e comida. Há várias opções, quanto menos pessoas no quarto mais caro. Todos oferecem comida, café da manhã e janta, você pode escolher se quer ou não. Como alguns ficam em lugares afastados e de difícil acesso, pode ser a única fonte de alimentação (exceção das cidades). Os refúgios pedem para que levem saco de dormir ou liner (por higiene) e que não entrem de botas no estabelecimento. Em alguns lugares tinha horário para tomar banho (17hs) e todos tem horário para o café (06:30-8hs) e janta (17:30-18:30), então programe-se para chegar antes das 17hs porque você pode perder sua janta ou seu banho quente.


Onde e o que comer:

       O café da manhã e a janta são fornecidos pelos refúgios, dentro do pacote half board (dormir+ café+ janta). Mas o que comer na trilha? Todos os refúgios fornecem o piquenique à parte. Em média custam 10 euros. Nesse piquenique vinha uma fruta, um lanche, alguma bebida (suco ou icetea) e chocolate. Algumas trilhas têm restaurantes/refúgios no caminho, há a opção de comer nesses estabelecimentos, por um preço um pouco salgado (20-30 euros). Nós escolhemos carregar um pouco mais de peso e gastar menos. Quando passávamos em alguma cidade com supermercado ou com alguma venda local, comprávamos pão (baguete), frios, tomate, chocolates, jujubas, castanhas e cereais (aproximadamente 1 a 2 euros cada um/dia). Também compramos um vinho para cada noite depois do jantar, mas valeu carregar o peso, nos refúgios eles são bem caros, e você encontra bons vinhos por até 5 euros em qualquer supermercado. Às vezes nós tínhamos que carregar comida para dois ou três dias pela distância das cidades. Levamos também, do Brasil, barrinha de proteína e carbogel. No fim, apenas em Trient compramos o piquenique. A cidade não tinha supermercado ou venda local.

Como chegar:

        Para saber como chegar é preciso decidir onde começar a trilha. A trilha tem vários pontos possíveis de partida: Courmayeur, Les Houches, Chamonix, Les Contamines, St Gervais, Chapieux, Orsières (Champex, La Fouly), Trient. O ponto de partida tradicional é Les Houches. Para chegar a Les Houches pegamos um avião de São Paulo até Genebra. No aeroporto, se você chegar até às 19hs ainda tem ônibus e transfer disponível até Chamonix. Les Houches e Chamonix parecem uma conurbação. É muito fácil andar pelas duas cidades, existe uma frota de ônibus de graça rodando. Em todos os pontos de parada tem um aviso com os horários e com o caminho dos ônibus. Na rodoviária de Chamonix existem ônibus bem mais em conta do que uber ou taxi até o aeroporto de Genebra. Nós ficamos um dia em Chamonix só conhecendo a cidade e nos preparando para o trekking. Para começar o trekking pegamos um ônibus até Les Houches, o qual para bem próximo do ponto de partida tradicional do TMB.

Moeda: 

        A maioria dos estabelecimentos só aceita dinheiro. Programe-se para levar dinheiro em espécie. O lado francês e o italiano usam o Euro, o lado Suíço o Franco. Na suíça eles até aceitam o pagamento em Euro, mas a conversão acaba sendo um pouco injusta. Acabamos levando um pouco mais de Euro e trocamos por Franco em Courmayeur.

Dicas:

- Todo ano tem uma competição chamada UTMB que é realizada na última semana de agosto e início de setembro. Tente programar sua viagem antes ou depois da UTMB porque as cidades que participam ficam lotadas e não há acomodações.

-Para fazer o TMB com pouco peso lavamos roupa em Courmayeur, em Champex e em Les Houches.

-Em algum período do trekking, aconselhamos a ficar em Hotel ou Hostel, apesar de mais caro, pode te dar um descanso do tumulto dos refúgios e dos horários militares. As cidades aconselháveis são Courmayeur, Champex, Les Houches ou Chamonix.

- Nas cidades não deixe para jantar tarde. A cozinha dos restaurantes fecha entre 19 e 20hs.

- Se tiver a oportunidade de ficar um dia em Courmayeur visite o Skyway ou em Chamonix o Auguille du Midi.

Itinerários sugeridos:

-Sentido anti-horário (11 dias): dia 1 Les Houches- Les Contamines; dia 2 Les Contamines- Les Chapiex; dia 3 Les Chapiex- Refugio Elisabetta; dia 4 Ref Elisabetta- Courmayeur; dia 5 Courmayeur- Refugio Bonatti; dia 6 Ref Bonatti- La Fouly; dia 7 La Fouly- Champex; dia 8 Champex- Col de la Forclaz/Trient; dia 9 Col de la Forclaz- Tré-le-Champ; dia 10 Tré-le-Champ- La Flégère; dia 11 La Flégère- Les Houches.

-Sentido horário (10 dias): dia 1 Champex- La Léchère/Ferret; dia 2 La Léchère/Ferret – Refugio Bonatti; dia 3 Ref Bonatti- Courmayeur; dia 4 Courmayeur- Refugio Elisabetta; dia 5 Refugio Elisabetta- Refuge de la Croix du Bonhomme; dia 6  Refuge de la Croix du Bonhomme- Les Contamines; dia 7 Les Contamines- Les Houches; dia 8 Les Houches- La Flegère; dia 9 La Flégère- Trient; dia 10 Trient- Champex.

Pollyanna, Cláudio e Bárbara.


























quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Divulgação da Falésia Taquaral


Falésia Taquaral
            A falésia do Taquaral se encontra localizada na cidade de Guaratinguetá-SP.

Regras para escalar na Falésia Taquaral

Lembre-se que você está entrando em uma Propriedade Particular.

1 - Para visitar a propriedade, deve-se pagar R$ 5,00 por pessoa por dia. Deve ser pago ao caseiro (casa da entrada). Não deixe de pagar, pois corremos o risco de não poder mais escalar nesta falésia.
2 - É proibido entrar e escalar a noite na falésia.
3 - Na estrada de terra dirija com muita atenção, não exceda 30 km/h, seja cortês e sempre dê preferência aos usuários locais.
4 - Imprima e leve este Guia de Escaladas da Falésia, pois ele contém informações importantes, como chegar, setores e croquis das vias.
5 - Trazer de volta todo o lixo.
6 - É possível acampar mediante pagamento de R$10,00 por pessoa por dia. Reservar antecipadamente por telefone (contatos abaixo).
7 - Proibido fumar e fazer fogueiras.
8 - Evitar deixar veículos na entrada do sítio. Para acessar o estacionamento deve-se abrir o portão e deixar o veículo fora da estradinha do lado esquerdo após a casa do caseiro.
9 - Não fazer algazarra (gritar, xingar ou atirar objetos) e nem assustar os animais do sítio.
10 - Deixar as porteiras e/ou tronqueiras como estavam ao chegar. Não mexer ou cortar cercas de arame farpado.
11 - Tente evitar, mas caso desejem fazer necessidades fisiológicas, enterrar os dejetos e o papel higiênico.
12 - Não mexer nos materiais que estão na falésia, pois estes pertencem aos conquistadores.
13 - Pague logo ao chegar e quando for embora, certifique-se de ter pago a taxa de visita e camping de todos integrantes do seu grupo.
14 - Não deixe os cachorros do sítio irem para a estrada.
15 - Conquistas somente com autorização do proprietário e conquistadores locais.
16 - Não levar animais (cachorros, gatos, etc.).

Para Informações, dúvidas ou sugestões mande uma mensagem através do blog: http://falesiaparaiso.blogspot.com/

Solicite o telefone do proprietário nos enviando uma mensagem.

Para saber como chegar clique no link: https://goo.gl/maps/hZaK7iKKjs52

 
Trilha do estacionamento até a rocha.
Setor Parede Maior

Setor parede maior.
   
        1 -    Recuperação dos Viciados
             Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros.
        2 -    Dia de Visita
             Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros.
        3 -    Recuperação do Takishita
             Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros, Márcio Takishita.
        4 -    Cultura Racional
             Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros, Márcio Takishita.



Setor #

Setor #
          1 - Missapapal, IV, 4Ps.
               Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros.
                2 - Bichamá, V, 5Ps.
               Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros.
                3 - Poelatinha, VI, 4Ps.
               Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros.
                4 - Socaenxada, V, 5 Ps.
               Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros.
                5 - Subtipodesatento - V
               Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros.
                6 - Nemesmis, V, 7 Ps.
               Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros.
                7 - Proteçãonatural, VI, 6 Ps. Usar uma fita para proteger na árvore.
               Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros e Mácio Takishita.
     A - Escalada Carioca, Projeto.
                Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
                8 - Japaguei, VIIa, 7ps.
               Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros e Mácio Takishita.
                9 - Pnapinéia, VIIa, 5 Ps.
                Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros e Mácio Takishita.
               10 - Lacachocha, VI, 5 Ps.
                 Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros e Mácio Takishita.
               11 - Escadinha, V, 5 Ps.
                Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira, Cláudio Medeiros e Mácio Takishita.
               12 - Inaciopreto, VI, 5 Ps.
                Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
               13 -  Aspirador, VIIa, 6 Ps.
                Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
               14 - Lacachaça, VIIa, 6 Ps.
                Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
               15 - JR, projeto.
                Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
               16 - Estragados Pelo Tempo, projeto.
                Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.


Setor Superior

Setor Superior
      Para acessar o setor superior suba pelo pasto a esquerda em direção a via de número 1.
     1 – Saidinha, VI, 11 Ps.
                        Conquistadores: Cláudio Medeiros, Luís Flávio Oliveira
          2 – Azeitona e Azeiteiro
                       Conquistadores: Inácio Bianchi, Cláudio Medeiros.
          3 - Cio da Terra
                       Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
          4 – Falta de Nível, VI, 9 Ps.
                       Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
          5 – As Mamicas, VI,
                      Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
          6 – Fogo no Pastel, VIIc
                      Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
          7 - Guardiões do Paraíso
                      Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
          8 - Conquista Presencial, IV, 11ps, 28 m.
                      Conquistadores: Bruno Zurlini,Tatiana de Carvalho, Inácio Bianchi.
          9 – Enfisema, VIIb, 12ps, 28m.
                      Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
        10 - O Falso Profeta, VI
                      Conquistadores: Cláudio Medeiros,
        11 - Acredite no Próprio Beta, VIIa
                      Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
        12 – Sombrinha Azul
                      Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
        13 – Bicha Moça, VI
                     Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
        14 – Paneleiro Maluco, VI
              Conquistadores:
        15 – Projeto - mista
              Conquistadores:

Setor Parede Central

Setor Parece Central.
      1 - Vale Ecologia.
                            Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.          
                2 - O Dia da Vaca, VI, 11 Ps, 23 m.
                               Conquistadores: Inácio Bianchi, Luís Flávio Oliveira.
                3 - Tá de Fleece, VIIa, 12 Ps, 30 m
                               Conquistadores: Inácio Bianchi, Cláudio Medeiros.



Para acessar o Setor Superior contorne pelo pasto subindo a esquerda em direção a via número 1.





quarta-feira, 4 de julho de 2018

Respeito às Regras do Local e Manutenção na Via Machu Picchu

Regras de Visitação à Falésia Paraíso


A presença de escaladores na Falésia Paraíso é constante o ano todo, mas nestas últimas senanas aumentou bastante por causa da temporada dos meses secos, nos quais todas vias de todos setores estão livres de umidade e propícias à escalada.
Exatamente por causa disso, começamos a temporada e com ela vem a velha reclamação dos proprietários: Alguns elementos não cumprem as regras.
As principais reclamação desta temporada são:
1) Não deixam a contribuição da taxa de visitação (diga-se de passagem, míseros R$ 5,00 a ser deixada na caixinha na entrada !!!).
2) Presença de pessoas fumando na falésia (perigo de fogo).
3) Presença de animais levados por frequentadores (perigo de conflito com os únicos permitidos na falésia são os dos proprietários).
Não deveria ser necessário dizer mas as regras estão no guia junto aos croquís, que pode ser baixado gratuitamente, e estão afixadas em uma placa azul na casa do Marcão perto da caixinha, na entrada do pasto que dá acesso à falésia. A regras devem ser respeitadas para que a falésia se mantenha aberta a todos.
Se você não quer respeitar as regras faça-nos o favor de não aparecer na falésia, não precisamos de pessoas que não contribuam para manter a falésia aberta a todos.
Se você frequenta, gosta da Falésia Paraíso e cumpre as regras, é bem vindo, e pedimos que faça o favor de ajudar a fiscalizar e cobrar aos demais que as cumpram, pois, você poderá perder o acesso graças às atitudes erradas dos que não as cumprem.

Manutenção na Via Machu Picchu 


Neste final de semana dia 30/06/2018 realizamos uma atualização na via Machu Picchu no Setor Laranja, adicionamos um grampo P na saída, pois a primeira proteção estava muito alta, oferecendo risco aos escaladores. Agora a via se encontra com 16 proteções, o grau sugerido se mantém em VIIc (BR). Tendo 29 metros de altura necessita de corda de 60 metros para o rapel.







segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Novo Setor na Falésia

SETOR LARANJA


Depois de um bom tempo em silêncio o Blog da Falésia tem o prazer de anunciar a abertura de mais um novo setor no dia 04 de novembro de 2017, sábado, quando será realizado um encontro informal para comemorar a abertura oficial do setor à comunidade frequentadora.

CONFRATERNIZAÇÃO: A idéia é simples: Escalar o dia 04 e acampar do sábado para domingo para poderemos fazer uma confraternização no acampamento. Cada um leva o que vai beber e comer.
Caso a previsão do tempo seja muito ruim a gente muda pro próximo fim de semana que estiver com tempo bom.

O NOVO SETOR: A textura da rocha deste setor é bem diferente da dos demais setores, para quem conhece, lembra muito o quartzito, como o de Cambotas, tendo vias de sexto, sétimo, oitavo e provavelmente de nono graus, tem como estrelas principais as recomendadíssimas vias Martelinho de Ouro e Turmalina, que tratam-se de vias grandes de sexto e sétimo graus respectivamente, com teto de agarras grandes, onde a escalada é constante, ou seja, não tem um crux definido. Neste setor escala-se quase o tempo todo à sombra, tendo sombra também em toda a sua base, prometendo ser uma boa pedida para os dias ensolarados de verão.
São até agora 15 vias, 3 móveis, e mais as possíveis combinações de entrada em uma e saída em outra, havendo ainda possibilidades de aberturas de mais umas cinco vias no máximo.
Apesar da presença de Abelhas e Marimbondos estes insetos não chegam a incomodar durante a escalada, pois, as abelhas que estão na via são as inofensivas Jataís. Já as Europa estão em duas colmeias muito pequenas distantes das vias, temos escalado e conquistado lá sem incômodos, mas recomenda-se cautela, evitando atitudes e uso coisas que possam irritar estes amiguinhos. 

Para acessar o Setor Laranja siga a trilha até o final do Setor Cânion e desça e logo encontrará as escadinhas de acesso.

Pré-Croquis das vias da Direita para a Esquerda
1 - Abraço, 13 Ps (2 na base), 26 m, Sugerido 8a/b.

2 - Chatoletas, 29m, Projeto.

3 - Evita Crux, 16 Ps, 29 m, Sugerido 7b/c. Início na via Volta da Cacildis, sai para a direita após o P4, contorna a direita por 3 Ps, volta e termina na mesma parada.

4 - Volta da Cacildis, 15 Ps, 29 m, Sugerido 8a/b.

5 - Machu Picchu, 16 Ps, 29 m, Sugerido 7b/c.

6 - Tendência Suicida, mista, 4 Ps, 29 m, projeto.

7 - Estagiário, mista, 5 Ps, 29 m, Sugerido 7c/8a.

8 - Turmalina, 29 m, 13 Ps, Sugerido 7a/b.

9 - Martelinho de Ouro, 11 Ps, 26 m, VI.

10 - Amarelão, móvel, inicia na parada da Martelinho de Ouro e termina na parada da Tramontina Pro. VI.

11 - Tramontina Pro, sugerido VIIc/8a, 18 m.

12 - Exponencial 11 Ps, 20 m, VI+.

13 - Razão Social, 7 Ps, 12 m, VI+.

14 - Teimosa, 8 Ps, 12m, Sugerido 7a.

15 - Tia Amélia, 6 Ps, 12 m, VI+.


Seguem algumas fotos de escaladores nas vias.


Volta da Cacildis VIIIa/b

Volta da Cacildis

Volta da Cacildis

Volta da Cacildis

Martelinho de Ouro VI+

Machu Picchu VIIb/c

Machu Picchu


Turmalina VIIa/b

Da esquerda p/ direita, Martelinho de Ouro e Turmalina

Da esquerda p/ direita: Exponencial VI+, Martelinho de Ouro e Turmalina


Turmalina